Descubra passo a passo como montar e criar a sua própria comunidade

 

  • Reúna pessoas motivadas: pessoas com capacidades técnicas e conhecimentos são importantes, mas a chave nas comunidades energéticas é ser formado por pessoas motivadas e que se empenharão a longo prazo. (Tenha em mente: a motivação pode vir do interesse e do conhecimento, mas também pode vir de uma necessidade)
  • Identifique os principais líderes dentro do seu grupo, ou dê as boas-vindas a potenciais líderes à sua iniciativa.
  • Tenha em conta os grupos existentes à sua volta que já estão a criar comunidade num sentido lato, sejam eles comunidades energéticas ou não. Aprenda com os seus sucessos e erros, eles podem ajudar e impulsionar a comunidade energética.
  • Mantenha a sua equipa informada e empenhada: mantenha a comunicação, actividades, discussões... (este link para o segundo passo!)
  • Façam perguntas a vós próprios: Quem são vocês? Porque é que se organizaram? O que é que querem fazer? Como é que o vão fazer?
    • Contar histórias é fundamental para definir e expressar as vossas próprias razões e objectivos. → Construa um entendimento comum do que você é e do que quer.
  • Defina em que tipo de actividades se vai envolver:
    • Eficiência e poupança energética
    • Produção de energia
    • Gestão de energia (partilha, armazenamento, auto-consumo...)
    • Fornecimento de energia
    • Distribuição de energia [1]
    • Outros serviços energéticos
    • Educação
    • Mobilidade
  • Planeie o seu processo: uma vez definido o seu objectivo, pense no processo para o alcançar. Desenvolva a sua estratégia.
  • Não é obrigatório ter uma estrutura jurídica, mas muito provavelmente terá de o fazer para poder realizar as suas actividades.
  • Existem muitos tipos de formas legais, terá de escolher a que melhor satisfaça as suas necessidades. (Em POWERPOOR, pensamos que uma cooperativa de energia fornece uma estrutura jurídica muito boa às comunidades energéticas do ponto de vista da pobreza energética. Para saber mais: https://www.rescoop.eu/the-rescoop-model) [2]
  • Estrutura: defina as suas regras internas, quem vai tomar decisões, quem vai investir, quem vai ser responsável (controlo) da comunidade, e assim por diante.
  • O apoio pode vir de diferentes actores: Municípios, pessoas individuais, associações, administrações regionais, empresas, cooperativas, movimentos sociais..
  • O apoio pode ser em diferentes formas: técnica, financeira, jurídica, social, administrativa..
  • Criar uma rede à sua volta: chegar à comunidade mais vasta.
  • Partilhe o seu projecto: motive outros a juntarem-se a si ou a iniciar um novo projecto.
  • Lembre-se... uma comunidade energética é um processo contínuo!

Orientações Nacionais

Descubra como as Iniciativas Colectivas de Energia são reguladas em toda a Europa.


Ligações úteis

Se é uma plataforma de financiamento coletivo ou uma comunidade de energia interessada em aliviar a pobreza energética, junte-se a nós!